28 de jul de 2011

O primeiro corte de cabelo a gente nunca esquece

A Nina nasceu super cabeluda e com os fios pretinhos. Com o tempo, o cabelo foi clareando e hoje é castanho, com nuances de dourado. Mas, o que nunca mudou foi a (grande) quantidade de fios. A gente percebeu que eles caíam porque ficavam no travesseiro, mas ela nunca ficou careca. Ao contrário. Com 11 meses, já estava na hora de cortar a franjinha - o coqueirinho, como a gente chamava a chuquinha, que já estava mais pra palmeira imperial, tamanha a altura do rabinho. E aí que só mesmo com muita técnica pra não deixar a menina com cara de doida, com aquelas franjas mal feitas (quem já cortou a própria franja e se arrependeu depois põe do dedo aqui...). Além de querer o mínimo de simetria, cortar as madeixas dela também tinha um caráter sentimental, pois queria muito que fosse com uma pessoa especial!

É que eu corto cabelo com o Paulo há quase 20 anos. Comecei ainda no colegial, quando ele era assistente de um salão do bairro Cambuí, em Campinas. Foi minha tia Márcia que o conheceu e indicou. De lá pra cá, o Paulo virou o PH Institute, num ambiente super gostoso da rua Prisciliana Soares - e que vai ficar ainda melhor com as mudanças de uma reforma bárbara no local. Já eu saí de Campinas e fui morar em Bauru, depois em Londres, depois em São Paulo... e sempre pedia para a minha mãe negociar um horário para corte "no fim de sábado". E ele sempre me atendeu, nunca fiquei na mão.

Então fomos nós três (eu, Nina e André) para o salão, para este momento tão divertido juntos. Enquanto eu segurava a Nina na cadeira, o PH mostrou técnica e agilidade invejáveis para cortar as madeixas sem que ela desse chilique (ela também é bem educadinha, diga-se de passagem, hehehe). Foram quatro tesouradas e pronto, surgiu uma franjinha foooofa! O papi aproveitou para registrar todo o momento, como a gente vê nas fotos abaixo, ou neste álbum de fotos. A Manu, sobrinha do PH, também deu a maior força, foi uma graça!

Sabe, num tempo em que a vida e as relações parecem tão descartáveis, fico feliz de ter esse vínculo tão duradouro. Porque amizades assim são capazes de fazer com que um simples corte de franja se torne um  momento especial. Ou será que "virei mãe" e estou sentimental demais? ;) 

De bochechas rosadas, ela espera pelo novo look!

PH, o "autor" da franja da Nina!

5 comentários:

  1. Ai Carolll... que coisa mais linda!!!! Que vontade apertar essas bochechinhas.... bjo grande!

    ResponderExcluir
  2. Linda...adorei as bochechas e a franja é um charme so!!

    ResponderExcluir
  3. Isa também é assim, cabeluda!!
    Nasceu e ta crescendo com longas e fartas madeixas!
    Já foi adepta também da palmeira imperial! hehehe adorei!
    Ficou linda a Nina! ALias, MAIS linda ne?
    Fofissima!
    beijao

    ResponderExcluir
  4. Lele, eu bem que vejo o tanto de cabelo que a Isa tem! Que alegria fazer rabinho nela, né? rs. Quando as madeixar da Nina crescer mais, vou adotar quero fazer duas tranças lindas, como as que a Isa usou em Campos! ;)

    ResponderExcluir
  5. Sil e Grá, eu tb morri com as bochechas dela! Ela está tipo a mamãe "branquelinha", e qdo sente um pouco de calor, fica rosada. #podemorder?
    ;)

    ResponderExcluir

Use este espaço para divagar, escrever, complementar... Sinta-se em casa!!! ;)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...