28 de fev de 2012

A menina atropelada pelo jet ski (ou sobre como educar filhos)

Enquanto rolava animado o feriadão de carnaval, uma mãe viu a filha morrer na sua frente, e nada pode fazer para impedir. Cirleide Lames brincava com a pequena Grazielly numa praia de Bertioga (SP), quando um jet ski desgovernado atropelou a menina.

A história, já triste, ficou pior quando veio à tona que quem guiava o veículo era um menor de idade, de 13 anos. "Ele apenas deu a partida", disse o advogado de defesa, como se a justificativa fosse suficiente para eximir a culpa do garoto e dos irresponsáveis ou fosse mudar a trágica situação. 

Quando vi a notícia do acidente, fiquei muito triste pela mãe (e a família) da Grazielly. A menina, que não conhecia o mar, teve sua vida tirada à força à beira dele. Olhava para a Nina tão serelepe perto de mim e não conseguia imaginar o tamanho da dor daquela mulher.  

Mas, pior que isso foi a tristeza de ver como agiram os padrinhos do menino, que fugiram sem prestar socorro ou esperar por alguma notícia da garotinha. E aí, senti dó. Dó mesmo. Coitado desse menino: fez burrada e teve ainda mais azar de ter padrinhos que ensinam que fugir é o melhor caminho. Teria sido o encaminhamento dado pelos pais? Não sei, não posso afirmar. Só sei que sair dali correndo, sem assumir seus atos, é uma maneira muito triste de encarar a vida. Um adolescente que dirige liga um jet ski numa praia movimentada tem que saber que pode ferir alguém. E se ferir, tem que assumir.

Eu amo demais minha filha e estarei sempre ao lado dela. Mas amar incondicionalmente não significa passar a mão na cabeça o tempo todo, nem deixar de mostrar que cada ação que a gente faz na vida tem uma consequência. Não estou dizendo que é fácil educar. Minha Nina tem 1 ano e meio e já passamos por momentos de não saber como agir, mesmo ela sendo tão novinha (imaginem na adolescência...).

Quais são os parâmetros entre o amor X criar com responsabilidade? Quando a gente perde a mão e acaba sendo muito permissivo? Não, não tenho essas respostas. Mas é por atitudes como a que tomaram os que deveriam "cuidar" do adolescente que vivemos num mundo tão cinza. 

foto: Stock.xchng


22 comentários:

  1. Olha, eu tenho amigos que têm jet, e que têm filhos, isso é mais comum do que vc pode imaginar, tenho um casal que deu de presente para o filho de 10 anos um jet, e ele dirige. Quando vi a matéria, pensei "meu Deus", isso pode se repetir várias vezes, vc tocou bem é falta de responsabilidade e discernimento do perigo, agora diga quem dirá isso? pq para os pais é algo normal, é um brinquedo!
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fanny,
      Jura? Caramba, 10 anos... qual a destreza motora dessa criança pra dirigir um veículo??? que medo.
      Mais medo de pais que acham "normal". Talvez mudem de opinião se, em brincadeiras com outros amiguinhos (todos de jet ski, claro), aconteça um acidente com alguém próximo. Infelizmente, a coisa tá assim, as pessoas só se preocupam com as consequências quando a água bate no umbigo...

      Excluir
  2. Realmente um assunto suuuuper importante!
    A educação vem de nós, pais, padrinhos, tios, responsáveis que damos exemplos e mostramos como agir nas mais diversas situações!
    A maternidade tem me ensinado a ser uma pessoa cada dia melhor par que possa fazer do meu filho um homem de verdade e que ele possa ser exemplo para outros. Não quero que ele seja melhor do que os outros, mas espero que ele seja o melhor dele mesmo!
    Obrigada pela reflexão, nos faz pensar bem mais em nossas atitudes e valores.
    Adorei!
    Bjs
    Falou Tchau
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei muito sua frase: "Não quero que ele seja melhor do que os outros, mas espero que ele seja o melhor dele mesmo!". Só isso já é uma baita lição de vida e de tolerância! ;-)

      Excluir
  3. Nosa, triste demais mesmo. E a fuga realmente... Crianças crescem impunes e se tornam adultos inconsequentes e que se acham donos da razão e do mundo. Tem que saber a hora certa de "punir". Cometemos erros a todo momento. é preciso saber que eles precisam ser evidenciados na vida de uma criança para que ela aprenda o certo e o errado. E tente sempre se guiar pelo caminho do bem. Gostei muito do texto. Beijos! #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, depois a gente ouve que mendigo foi queimado em praça e acha um absurdo! ou que nego anda de porshe a 150 por hora, onde o limite é 60... por aí vai...

      Excluir
  4. Ah explicando o comentario "duplicado"... Como somos 5 que fazem o blog, isso acontece as vezes. hihihihi Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, eu fiquei aqui pensandooooo... #rimuito

      Excluir
  5. Realmente triste, principalmente a postura da familia do menino... amar incondicionamelmente é principalmente saber dizer NÃO!
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer não é difícil... mas a vida nos diz muitos 'nãos', né? se a gente não souber lidar com isso, como vai viver???

      Excluir
  6. Com certeza também fiquei pensando muito nisso e na responsabilidade que nós temos com relação as atitudes de nossos filhos, é por isso é preciso saber dizer não e ensina-los que tudo tem uma consequência.Amor incondicional é preparar e formar ser humanos para a vida e não ensina los a fugir dos problemas

    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho até repensado esse lance de amor incondicional. Se "usado" de forma errada, pode virar um problema na relação mãe e filho, né?

      Excluir
  7. A responsabilidade por tudo que aconteceu é da família do menino. Legalmente, dos pais e também dos padrinhos, que lá estavam e agiram dessa forma. E também por deixarem um menor pilotar um veículo incompatível com sua idade.
    Lamentável tudo que ocorreu. Fiquei pasma com o depoimento da madrinha: "Ele é um menino que faz o que quer". Como assim??? Um menino de 14 anos tem autonomia e maturidade para fazer o que quer???
    Falta à grande maioria das famílias hoje a noção de hierarquia. Mãe e pai não são amigos. São mãe e pai. E tinham que fazer valer sua autoridade, quando preciso. Faltam limites, falta responsabilidade, falta respeito. E dá nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Cris, minha pergunta é a mesma: "Como assim???"...

      Excluir
  8. Ai esse assunto é complicado.
    Eu acho que os adultos são tão ou mais responsáveis que o adolescente.
    E não aceito como desculpa do adulto: ah ele não respeita as regras que eu coloco. Isso é meio duvidoso, se o adulto que entregou o jet sky tivesse dito não, o problema não existiria.

    Beijos,
    Ana Carolina
    #amigacomenta
    http://loucuramaterna.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, eu concordo, porque, afinal de contas, a não ser que ele tivesse saído escondido com o jet ski (acho meio difícil passar despercebido, né?), algum adulto "liberou" o veículo...
      Beijos

      Excluir
  9. Realmente esse asunto é muito difícil.
    Num primeiro momento fiquei com muita "raiva" do menino (pois achei que ele estava de fato dirigindo, bateu, viu e saiu correndo)... apesar de não ter sido assim, a consequência foi uma só, a pior possível.
    Triste é ver que os adultos autorizam o uso num lugar publico e depois fogem sem prestar assistência. Susto, medo do flagrante, não sei... mas é F***.

    Bjos

    #amigacomenta
    @look_bebe
    http://www.lookbebe.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, a falta de socorro embrulhou meu estômago. E se fosse com a minha filha? Alguém atropela e sai correndo... acho que eu morreria ali tb.

      bjs

      Excluir
  10. Oieee,

    Eu tb fico super mal com estas notícias...
    O que abala, mais do que o acidente em si que é terrível, é saber que existem crianças que estão sendo criadas desta forma, sem qualquer responsabilidade!
    Agora me diz: isto é amor ou falta de amor??

    Muito triste mesmo!!

    bjo!

    Loreta#amigacomenta;)
    @bagagemdemae
    www.bagagemdemae.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Loreta
      acho que falta de amor não chega a ser, mas amor em excesso, daquele que cega os pais e não os faz enxergar que limites são bons e necessários...
      beijos!

      Excluir
  11. Eu fico furiosa com estas coisas. Principalmente porque o começo do erro está no fato de que jet ski não é brinquedo. Não é nem mesmo para qualquer um. Deveria ser conduzido apenas por pessoas habilitadas e maiores de 18 anos. Mas se a Capitania dos Portos não consegue nem fiscalizar os adultos que fazem isso, o que dizer desses adultos deixarem crianças no comando.

    Some-se a isso o fato de que muitos adultos não têm o menor preparo para educar os jovens e vemos isso, uma criança que não tem a menor culpa, que está no lugar certo, do jeito certo, sendo penalizada...

    Tb fiquei muito triste.
    Òtimo post
    Beijos
    Tati
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thaty
      Concordo com a questão da fiscalização. Depois eu ouvi que a partir de julho vão aumentar as exigências para que uma pessoa possa dirigir um jet ski: além de aula teórica e prova, terão uma prova prática (acredita que até então, não tinha aula prática??).
      E de que adianta aumentar o rigor da Lei, se não tem ninguém pra fiscalizar e punir????

      Beijos

      Excluir

Use este espaço para divagar, escrever, complementar... Sinta-se em casa!!! ;)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...